É possível ensinar poesia? Indagações sobre poesia, ensino e filosofia

Apresentação por Gabriel Reis MartinsEnsaio por Isadora Urbano Desaprender oito horas por dia ensina os princípios Manoel de Barros, O livro das ignorãças. Se uma das prerrogativas da poesia é promover a liberdade – conferindo “um novo sentido às palavras da tribo”, já escrevera Stéphane Mallarmé –, não seria contraditório submeter o jovem leitor àsContinuar lendo “É possível ensinar poesia? Indagações sobre poesia, ensino e filosofia”

do 306/2 ao 1929

de Gabriel Reis Martins para Rafael Fava Belúzio — Timinho difícil esse — o papai dizia, eu sem entender. Mas o diminutivo não era tanto por conta do tamanho do time – jogadores eram onze, do mesmo jeito, de um lado e de outro; ele dizia aquilo assim, porque aquele time tinha saído de lugarContinuar lendo “do 306/2 ao 1929”

Anos de Chumbo e Outros Contos (contemporâneos), de Chico Buarque de Hollanda

Foto de capa: Poliana Tankilevitch [modificada]. Disponível em: Pexels. Texto por Gabriel Reis Martins Chico Buarque de Hollanda é o típico caso de artista que não precisa fazer qualquer esforço para estar entre os mais vendidos e lidos na semana de sua publicação, seja com um novo disco ou mesmo com sua prosa. Recentemente, vimos oContinuar lendo “Anos de Chumbo e Outros Contos (contemporâneos), de Chico Buarque de Hollanda”

Noites no Circo, de Angela Carter: a contradição como fio-condutor

Resenha por Gabriel Reis Martins Apesar de ser uma escritora já consagrada no cenário literário de língua inglesa, Angela Carter não é tão conhecida no Brasil. Eu mesmo só tomei conhecimento de sua obra, porque minha companheira desenvolve atualmente uma pesquisa sobre o livro mais aclamado de Carter: A câmara sangrenta (Bloody Chamber, 1979), queContinuar lendo “Noites no Circo, de Angela Carter: a contradição como fio-condutor”

Carta a meus filhos sobre os fuzilamentos de Goya, de Jorge de Sena

Carta a meus filhos sobre os fuzilamentos de Goya – de Jorge de Sena Não sei, meus filhos, que mundo será o vosso. É possível, tudo é possível, que ele seja aquele que eu desejo para vós. Um simples mundo, onde tudo tenha apenas a dificuldade que advém de nada haver que não seja simplesContinuar lendo “Carta a meus filhos sobre os fuzilamentos de Goya, de Jorge de Sena”

Quatro dicas de publicação para autores independentes

Texto por Gabriel Reis Martins Em um mundo como o nosso, de mercado digital e baseado em cliques, assistimos a um volume gigantesco e diário de publicações literárias e não-literárias, que inclusive não para de crescer. Isso está relacionado, entre outras coisas, ao fato de que, nos últimos anos, publicar um livro de maneira individualContinuar lendo “Quatro dicas de publicação para autores independentes”

“O Flautista de Hamelin”, um conto de fadas tradicional

Coletado pelos irmãos Jacob e Wilhelm Grimm Equipe de tradução: Cláudia Mello Belhassof, Felipe Lemos, Kamila França, Ariane Muniz e Carolina Caires Coelho Era uma vez, às margens de um grande rio no norte da Alemanha, uma cidade chamada Hamelin. Os cidadãos de Hamelin eram pessoas honestas e viviam felizes em suas casas de pedrasContinuar lendo ““O Flautista de Hamelin”, um conto de fadas tradicional”

Laços, de Domenico Starnone: vidas derramadas, laços que as retém

Resenha por Mariana Makluf Laços é um romance de Domenico Starnone, escrito em 2014, vencedor do Bridge Prize de 2015. É uma obra curta e simples – mas, ao mesmo tempo, de uma complexidade extraordinária –, que retrata os dramas de uma família comum em meio a encontros, desencontros, contenções e pulsões, segredos e revelações.Continuar lendo “Laços, de Domenico Starnone: vidas derramadas, laços que as retém”

“O coelho sem pelos de Inaba”, um mito japonês tradicional

Recontado por Nana Yoshida e Lica Hashimoto O Deus-das-Grandes-Terras tinha muitos irmãos por parte de pai e todos eles resolveram ceder o comando de suas respectivas terras para ele. Essa atitude tinha uma motivação muito forte… Na verdade, os irmãos pretendiam casar com Yagami, a Princesa-das-Regiões-Prósperas, que morava em Inaba, um local muito distante. QuandoContinuar lendo ““O coelho sem pelos de Inaba”, um mito japonês tradicional”

Lançamento – Noiva entre túmulos, de Paloma Bernardino

Foto de capa feita pelo autor da publicação. Texto por Gabriel Reis Martins Nome: Noiva Entre TúmulosGênero: HorrorAutora: Paloma Bernardino BragaEditora: Edição da autoraIlustrações: Andresa Rios e Bruno de SouzaAno de publicação: 2021Número de páginas: 247 Gosta de ficções de terror, lendas urbanas e romances um tanto conturbados? Então, nós do Duras Letras convidamos vocêsContinuar lendo “Lançamento – Noiva entre túmulos, de Paloma Bernardino”